Amamentação e a falta de leite.

Sempre no período da tarde vitinho começava a chorar sem parar, nada do que eu fazia o acalmava e eu não tinha ideia do que poderia ser, começamos a desconfiar de cólicas, mas em todo caso fomos levar ele ao pediatra, quando contei para ela o que estava acontecendo ela logo disse que não poderia ser cólicas, disse que cólicas dão depois de uns 15 dias de vida do bebê, e também não dão somente num determinado período do dia, então para minha surpresa ela disse que poderia ser fome, eu a questionei; Como pode ser fome se ele mama o dia todo no peito?. Ela me respondeu dizendo que não sabemos o quanto o bebê esta mamando, nem o quanto de leite esta saindo, ele pode estar sugando e saindo quase nada de leite, me disse que era provável que eu estivesse produzindo pouco leite por estar mais cansada no fim do dia. Pesamos o vitinho e ele tinha perdido peso, ela me disse então que eu precisaria complementar as mamadas com formula porque ele tinha que ganhar peso rápido, ali mesmo comecei a me questionar sobre o que tinha feito de errado para ter pouco leite, o medo de não conseguir amamentar tomou conta de mim e não contive as lágrimas, meu bebê estava passando fome e eu não sabia, fiquei decepcionada comigo mesma, perguntei a ela o que deveria fazer e a resposta foi bem simples, ela disse que eu deveria descansar, dormir assim que o bebê dormisse e que bebesse muita água, para que eu produzisse mais leite, também deveria me alimentar bem. Eu estava com a minha rotina toda de volta ao normal mesmo com os pontos da cesárea queria fazer de tudo, não sentia dores, nem parecia que tinha feito uma cirurgia, mas então caiu a minha ficha de que eu precisava desse repouso, do descanso, eu estava atropelando um tempo que era necessário para mim e para o bebê. Dar a formula era o que eu mais temia, parece simples dar uma mamadeira ao bebê, mas não é, eu queria que ele mamasse de mim, queria aquele momento exclusivo para nós, tinha medo que ele acostumasse com a mamadeira e largasse do peito, fiquei muito apreensiva, tentei dar a ele o leite no copinho e na colher como me ensinaram no hospital para que ele não viciasse no bico da mamadeira, mas ele derramava muito para fora e desperdiçava leite, então arrisquei dar na mamadeira, ele mamava no meu peito e logo em seguida eu dava a mamadeira, quando lembro disso hoje entendo que era necessário e que dar formula para complementar não é um bicho de sete cabeças, é uma ajuda para que eu pudesse me acalmar e descansar para então produzir o leite, foi uma semana muito dolorosa para mim eu tinha muito medo de não conseguir produzir o leite, ouvi muitas coisas tais como; "Você não tem muito leite melhor dar só a formula" ou "não é todo mundo que consegue amamentar mesmo, fica tranquila". Mas também escutei muitas coisas boas e tive muita ajuda da minha família e amigas, que me incentivaram e me deram muitas dicas, eu não iria desistir de tentar, então segui todos os conselhos e todas as dicas, dormia bastante junto com o bebê durante o dia, bebia muita água, nos intervalos eu sugava com a bombinha para estimular mais a descida do leite, comia apenas coisas fortes, cuscuz, banana da terra, carne ossobuco, etc, então depois de umas 2 semanas eu estava cheia de leite tanto que vazava, tive até que usar aquele absorvente para seios, o bebê enfim tinha ganhado peso e já não precisava mais dar a formula. Mas a jornada de amamentar não parou por ai, quando vitinho estava com 2 meses, estávamos num processo de mudanças, morando na casa dos meus pais cheios de coisas para resolver com as reformas do apartamento, eu tive uma crise de ansiedade e nervosismo, que afetou a produção do meu leite, o emocional pode afetar diretamente o aleitamento, vitinho voltou com as crises de choro e então eu já sabia, ele estava com fome, tive que dar novamente a mamadeira a ele, porém dessa vez ele já não queria, ele queria somente o peito, não estava mais acostumado com o bico da mamadeira. Foi um período estressante e muito desgastante, ele chorava muito no meu peito e eu tinha que esperar ele dormir para então com ele dormindo colocar a mamadeira na boquinha dele e ele mamar sem perceber que era outro bico sem ser o peito, com tudo isso eu comecei a pensar em não dar mais o peito a ele e deixar ele de vez só com a mamadeira, chorei muito e me abri com minha mãe e irmã, eu estava muito exausta e aquele momento precioso e lindo que era dar de mamar se tornou num pesadelo com choros de fome. Na primeira semana na casa nova, minha mãe e irmã conversaram comigo e disseram para eu não desistir, porque o vitinho era muito novo e ele precisava no leite materno, disseram para eu pensar melhor agora com as coisas mais tranquilas, então depois de alguns dias mas calmos o meu leite voltou sozinho a produzir a quantidade que o vitinho precisava, voltamos a ter nossos momentos de amamentação tranquilos, e até hoje ele mama e não tivemos mais nenhum problema, entendi que amamentar é um processo, entendi que eu fiz a escolha certa em não desistir, nem da primeira e nem da segunda vez e digo a você que tem passado por dificuldades na amamentação, não desista, essa fase ruim vai passar tudo é aprendizado, não abandone o caminho antes da linha de chegada, você é capaz e vai conseguir.


32 visualizações
  • Instagram
  • Instagram
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon
  • Black Twitter Icon

© 2023 by Bump & Beyond. Proudly created with Wix.com

  • Preto Ícone Twitter
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon